Conheça alguns tipos de tratamentos para queda de cabelo

12 minutos para ler
Você deseja manter seu cabelo bonito e bem cuidado? Você se interessa em preservar o couro cabeludo sempre saudável? Por acaso, tem percebido que seus fios estão caindo mais e está muito preocupada com isso? Saiba que você não está sozinha nessa batalha. Muitas mulheres passam pelo mesmo problema e estão em busca de um tratamento adequado para queda de cabelo.

Afinal de contas, sabemos que os cabelos têm uma relação íntima com autoestima. Além disso, mais do que uma questão estética, a queda de cabelo é um pequeno sinal que o organismo dá de que algo não está indo bem.

Por isso, neste post, vou explicar do que se trata a queda de cabelo, diferenciando-a da calvície, e apresentar algumas das principais causas e tratamentos para combater esse problema. Confira!

O que é queda de cabelo?

Os fios de cabelo passam por um ciclo de vida que envolve crescimento, repouso e queda. Se tudo vai bem, esse ciclo é contínuo. Então a queda de cabelo é um processo fisiológico e de renovação, mas não pode ser excessivo.

Perder até 50 a 100 fios por dia é absolutamente aceitável, já que o couro cabeludo tem mais de 100 mil. No entanto, cada pessoa tem o seu padrão de perda. Caso você comece a perceber um aumento na quantidade de fios perdidos por dia, seja no travesseiro, no pente ou na escova de cabelo, é bom se certificar de que isso não representa um problema de verdade.

A queda de cabelo, ou eflúvio telógeno agudo, é muito comum e representa alguns desequilíbrios internos do organismo. No entanto, não são raras as vezes em que queda de cabelo e calvície são confundidos, usando ambas como palavras sinônimas.

Eflúvio telógeno agudo é uma perda em excesso com um motivo bem definido. O processo pode ser autolimitado, geralmente 3 meses. Mas exige diagnóstico. O tratamento pode ser expectante ou direcionado para a causa que precipitou a queda dos fios.

Quais as causas de eflúvio telógeno agudo?

O eflúvio telógeno pode estar relacionada a diversos fatores. Não se pode negligenciar a perda dos fios, pois ela representa, de fato, outras doenças ocultas e pode ser um indicativo de que algo mais grave e não meramente estético.

As principais causas de queda de cabelo são:

  • alterações hormonais (tireóide e hormônios sexuais)
  • deficiência de minerais e vitaminas;
  • anemia ou diminuição da ferritina;
  • sífilis;
  • doenças autoimunes;
  • traumatismos físicos;
  • cirurgias de pequeno, médio ou grande porte;
  • queimadura no couro cabeludo;
  • ingestão de hormônios;
  • tabagismo;
  • estresse, ansiedade ou depressão;
  • fatores genéticos;
  • alguns medicamentos, como antidepressivos, ansiolíticos, corticóides;
  • tratamento contra o câncer (quimioterapia e radioterapia);
  • pós-parto e amamentação;
  • envelhecimento;
  • início ou interrupção de anticoncepcional.

Diante disso, não se pode que a queda de cabelo seja simplesmente atribuída ao estresse ou ansiedade. Agindo dessa maneira, diminui-se a importância do quadro e um sinal de alerta que o corpo tenta comunicar pode ser ignorado.

Além disso, a calvície masculina e feminina são diferentes. Nos homens, ela tem uma participação mais definitiva da dihidrotestosterona. Ela é responsável por diminuir o tempo de crescimento (fase anágena) dos cabelos nas regiões frontal e temporal, além de causar um afinamento progressivo e crônico até desaparecimento completo do fio.

Nas mulheres, os hormônios androgênicos têm uma participação mais discreta. O afinamento também acontece, mas é mais difuso e menos proeminente. Dessa maneira, o homem pode desenvolver uma calvície completa. Já a mulher desenvolve uma rarefação difusa, mas não perde completamente os cabelos.

Quais os mitos e verdades sobre a queda de cabelo?

Muitas vezes, são divulgadas diversas notícias e artigos que apresentam equívocos sobre a perda de cabelo e o que a causa. Veja, a seguir, alguns dos mitos e verdades sobre este assunto.

O cabelo cresce mais rápido se você cortá-lo

Cortar o cabelo pode significar que você está sentindo uma queda menor, já que terá removido quaisquer pontas duplas e seu cabelo ficará mais saudável, mas não terá impacto na queda de cabelo.

O cabelo oleoso cai mais frequentemente

É verdade, pois o sebo deixa o cabelo “sujo” e pode obstruir o folículo. Isso que significa que ele deixa de funcionar corretamente, portanto, a oleosidade pode sim favorecer a queda dos fios. Afinal de contas o microbioma está desequilibrado.

Perdemos mais do nosso cabelo no outono

Somos mamíferos. O cabelo cai naturalmente no outono. O clima da estação atribui uma porção de fatores que fazem com que os fios caiam mais frequentemente durante essa época. Desse modo, o período em que mais se renova ocorre durante as demais épocas do ano.

Ansiedade e estresse podem afetar a perda de cabelo

É verdade que o estresse é a causa número um de perda de cabelo. E quando as pessoas percebem que muitos fios do cabelo estão caindo, a tendência é se preocuparem ainda mais, o que se torna um círculo vicioso. estresse crônico pode elevar o nível de cortisol. E o uso de medicamentos para controlar o estresse (ansiolíticos) também podem precipitar queda de cabelo.

Lavar o cabelo diariamente faz com que caia mais

Isso não apenas é mito, como, na verdade, essa prática pode ter o efeito oposto. Se o seu cabelo ficar oleoso todos os dias, é melhor lavá-lo para evitar o excesso de sebo que bloqueia os folículos.

Escovar o cabelo quando está molhado significa que mais vai cair

Não! os cabelos que estão em processo de queda vão sair em algum momento, que pode ser ou não durante a escovação. Recomendamos não escovar os fios molhados para não danificar a haste, que fica mais vulnerável quando está úmida.

Beber e fumar faz seu cabelo cair mais

Além de ser ruim para sua saúde física, beber e fumar faz com que o cabelo perca a vitalidade e até caia. Os hábitos causam mais impacto na saúde cabelos do que realmente aparenta.

Sempre usando gel, spray ou mousse, causa calvície

Aplicar alguns produtos pode danificar o cabelo, mas isso não significa que eles aumentem a queda de cabelo. Mas se você está sempre usando produtos como spray, gel e mousse, seu couro cabeludo pode ficar oleoso, o que causa perda de cabelo. Ocorre acumulo de resíduos e desequilíbrio do microbioma do couro cabeludo.

Quando buscar auxílio de um profissional?

Faça uma consulta com um especialista em dermatologia capilar se você estiver perdendo grandes quantidades de cabelo todos os dias ou se não estiver se sentindo bem ao mesmo tempo em que está perdendo cabelo. Na maioria das vezes, a perda de cabelo ocorre sem outros sinais de doença.

Se determinados sintomas ocorrerem junto com a perda de cabelo, pode indicar uma condição médica mais grave. Alguns deles são:

  • pouco apetite;
  • prisão de ventre;
  • diarreia;
  • problemas respiratórios;
  • perda de peso;
  • problemas de pele.

Como evitar?

Você pode seguir algumas dicas de higiene capilar para deixar o cabelo menos propenso a cair, como:

  • evite penteados que tracione os fios;
  • dispense ferramentas de modelagem de cabelo de alta temperatura;ou pelo menos evite;
  • evite descoloração e alisamentos;
  • use um xampu adequado;
  • utilize uma escova macia feita de fibras naturais;

Qual a importância do diagnóstico para estabelecer o tratamento?

Para determinar a causa da perda de cabelo, o seu dermatologista faz uma série de perguntas sobre a perda de cabelo começou, quais são os padrões de perda de cabelo, que tipo de penteados costuma usar, se a perda de cabelo corre em sua família e outros detalhes sobre sintomas.

Ele ou ela pode perguntar sobre quaisquer outras condições médicas que você tenha. Detalhes que podem parecer não relacionados — como os alimentos consumidos ou se deu à luz recentemente — podem fornecer pistas sobre a causa da queda de cabelo.

Qual o tratamento para queda de cabelo?

Perder alguns fios de cabelo por dia é absolutamente normal e faz parte do processo de renovação capilar. Entretanto, ao perceber mudanças no padrão de perdae, procur ajuda médica.

O responsável por um diagnóstico correto e acurado é o médico dermatologista. Afinal de contas, a queda de cabelo pode ser apenas a ponta do iceberg de um problema muito maior.

A seguir, confira a lista dos tratamentos mais comuns contra queda de cabelo!

Minoxidil tópico

Ao depositá-lo na coroa duas vezes ao dia, aumenta-se o fluxo sanguíneo para os folículos pilosos, fortalecendo-os e espessando-os. O cabelo fica mais cheio e, por sua vez, menos suscetível à queda permanente. O minoxidil também estimula o folículo capilar durante a fase de regeneração, após a ocorrência da queda natural.

Vitaminas e minerais

Existem também as vitaminas que podem ser importantes para o crescimento do cabelo. Pode-se citar a:

  • vitamina A: ela auxilia as glândulas da pele a criar uma substância oleosa conhecida como sebo, hidrata o couro cabeludo e ajuda a manter o cabelo saudável;
  • vitaminas B: ajudam a criar glóbulos vermelhos, que transportam nutrientes e oxigênio para os folículos pilosos e couro cabeludo. Esses processos são fundamentais para o crescimento;
  • vitamina C: é um poderoso antioxidante que ajuda a proteger contra o estresse oxidativo causado pelos radicais livres;
  • vitamina D: pode ajudar a criar novos folículos, os minúsculos poros no couro cabeludo, onde novos cabelos podem crescer;
  • vitamina E: Semelhante à vitamina C, trata-se de um antioxidante que pode prevenir o estresse.

Para fortalecimento cabelo, as vitaminas são fundamentais. Entre todas as vitaminas de que cabelo precisa, a mais essencial é a vitamina H, também conhecida como B7 ou biotina. Ela deve ser fornecida em quantidades corretas, entre 2.500 a 10.000 mcg por dia.​

Os minerais, como silício, ferro, selênio e zinco, também são fundamentais. Manter uma dieta adequada e variada, sem restrições desnecessárias, é a maneira mais correta e natural para obtermos esses minerais. Definitivamente, a saúde começa pela boca, com a orientação de seu dermatologista capilar.

MMP

Refere-se a uma metodologia capaz de introduzir medicamentos ativos diretamente no local em que é preciso a aplicação. Tudo isso de modo mais eficiente e menos dolorida. A MMP utiliza um aparelho chamado Cheyenne.

Finasterida

Bloqueia a formação de DHT (dihidrotestosterona), um hormônio masculino andrógeno que contribui para a perda de cabelo, tornando os folículos pilosos finos e curtos. Uma sessão de terapia a laser típica dura de 20 a 60 minutos. Você pode completá-los em um consultório médico, com um capacete a laser para levar para casa ou até mesmo com um pincel a laser.

LLLT/low level laser (light) therapy

A terapia a laser de baixa intensidade (LLLT) é a exposição terapêutica luz vermelha ou quase infra vermelha. essa luz vermelha pode ser obtida de um laser ou de um diodo emissor de luz (LED) de alta potência. Uma sessão de terapia a laser típica em casa dura de 3 a 15 minutos. Você pode completá-los em um consultório médico. também chama de fotobioestimulação, o LLLT pode ser utilizado tanto no consultório como em casa (home device). É um tratamento indolor, pois o aparelho não gera aquecimento e não causa nenhum dano aos fios.

O mecanismo de ação ainda é desconhecido, mas estudos clínicos apontam que o laser de baixa potência e o LED ajudam a prolongar o tempo de fase anágena (fase de crescimento dos fios). Dessa maneira, eles têm a oportunidade de ficarem mais compridos e mais espessos. No entanto, não existe nenhum ganho de força, brilho ou qualquer vantagem quando o laser é aplicado nos fios.

Xampus

Os shampoos podem colaborar de maneira indireta com a queda dos fios, se forem utilizados para combater a oleosidade em excesso ou a dermatite seborreica. Além disso, existem produtos com cetoconazol, pitirionato de zinco e sulfeto de selênio, que controlam a população de fungos no couro cabeludo. Porém, seu uso deve ser combinado com, pelo menos, um tipo de tratamento para que se alcance o sucesso.

Medicamentos

Em algumas situações especiais, é necessário usar medicamentos específicos para controlar a queda e a rarefação dos fios. Eles podem ser tópicos, orais ou, até mesmo, injetáveis. Cada paciente tem uma necessidade especial, de acordo com o diagnóstico do profissional.

O tratamento depende essencialmente da causa da queda de cabelo (eflúvio telógeno). Se for uma infecção, será receitado um antibiótico, no caso do hipotireoidismo, o recomendado é a levotiroxina, assim como para a anemia ferropriva, usa-se ferro quelato e assim por diante.

Portanto, não existe nenhum composto vitamínico no mercado que vai resolver a sua queda de cabelo milagrosamente. Sem um diagnóstico correto para o seu caso, não existe uma solução eficiente.

Algumas das medicações disponíveis para calvície feminina e masculina são finasterida, dutasterida, espironolactona, minoxidil e latanoprosta. Vale lembrar que a orientação de um especialista é fundamental. Somente ele poderá indicar o tratamento adequado e pedir os exames corretos para monitorar o sucesso do tratamento e os efeitos colaterais.

Sendo assim, o tratamento para queda de cabelo está no mercado com diversas opções de recursos terapêuticos para uma estética e saúde dos seus cabelos cada vez melhor. Agora basta procurar uma especialista, como a doutora Amanda Gomes, da Clínica da Pele, obter seu diagnóstico e iniciar o quanto antes os procedimentos.

Gostou deste post? Então não perca tempo e entre em contato para tirar todas as suas dúvidas!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This