cutícula do cabelo cutícula do cabelo

Saiba o que é e como cuidar da cutícula do cabelo

4 minutos para ler

Embora o fio de cabelo pareça ser bem fino, ele é composto por várias camadas. Cada uma delas tem sua importância e merece cuidados específicos, especialmente quando se realiza alguns procedimentos. Se você já pesquisou sobre alisamento ou colorações, já deve ter se deparado com o termo “cutícula do cabelo”.

A seguir, falaremos sobre essa camada. Ao final do artigo, você saberá o que é a cutícula, quais procedimentos podem alterá-la e como cuidar melhor dela. Continue lendo para saber mais!

O que é a cutícula do cabelo?

O cabelo pode ser dividido em três camadas principais, de dentro para fora: a medula, o córtex e a cutícula. Por se tratar da camada mais externa, a cutícula tem a função de proteção do córtex e da medula. Ela funciona como se fosse a pele do cabelo, mantendo os nutrientes dentro do fio e suas estruturas internas coesas.

A cutícula é composta por células mortas queratinizadas, dispostas na direção de crescimento do cabelo. Para senti-las, você pode fazer um experimento simples: tente deslizar seus dedos polegar e indicador, em formato de pinça, da base do fio até sua ponta. Em condições normais, os dedos deslizam sem dificuldade, pois acompanham a direção da cutícula.

Se você tentar fazer o contrário — deslizar da ponta até a base —, sentirá um leve atrito. Isso ocorre porque, nesse caso, você está indo contra a direção da cutícula. Isso ilustra a segunda função dessa camada, de manter partículas e outros organismos distantes do couro cabeludo.

O que pode alterar a cutícula?

Durante procedimentos que envolvem o uso de produtos químicos, é comum ouvir falar em “abrir” e “fechar” a cutícula. Em condições normais, ela permanece sempre fechada, impedindo a entrada e a saída de produtos químicos. Assim, para que eles sejam eficazes, é preciso abri-la inicialmente e, após o procedimento, fechá-la.

Existem duas situações que abrem a cutícula capilar: a temperatura elevada e o pH alcalino (superior a 7), sendo este último o mais comum. Para fechar a cutícula, usamos temperaturas baixas ou substâncias com um pH ácido (inferior a 7).

O problema dessa manipulação da cutícula é que nem sempre é possível fechá-la uniformemente e deixá-la como antes. Em alguns casos, ela pode ficar irregular ou ser danificada, dando ao cabelo um aspecto opaco e eriçado após procedimentos agressivos. Por isso, é fundamental cuidar das cutículas antes do procedimento e prevenir sua danificação.

Como cuidar da cutícula do cabelo?

Após o dano ser causado, há pouco que podemos fazer para recuperar a conformação original da cutícula. Nesses casos, temos que esperar que o cabelo cresça novamente, com uma cutícula saudável e inalterada.

No entanto, é possível prevenir os danos à cutícula com cuidados prévios aos procedimentos. Recomendamos o uso de um protetor térmico toda vez que for se submeter a aparelhos como secadores, chapinha ou modeladores. Além disso, procure realizar procedimentos químicos com profissionais experientes e de confiança.

Por fim, o uso de um protetor solar capilar evita parcialmente os danos causados pelos raios ultravioletas do sol, que também abrem a cutícula capilar. Com isso, você evita os danos do dia a dia e mantém suas mechas sempre saudáveis.

Cuidar do cabelo envolve conhecer suas diferentes camadas, tipos e propriedades. Nesse sentido, a cutícula do cabelo merece uma atenção especial, principalmente quando se trata de procedimentos químicos ou térmicos. Com cuidados simples, é possível prevenir danos a essa camada e mantê-la saudável.

Se você quer ficar por dentro de mais dicas envolvendo a saúde capilar, siga a Dra. Amanda Gomes em suas redes sociais. Ela está no Facebook e no Instagram, sempre falando a respeito da dermatologia e da tricologia.

Posts relacionados
Share This