encontro-rev

Entrevista da Dra Amanda Na Revista encontro sobre calvície feminina

Confira a revista encontro do mês de novembro, 2015, uma matéria especial com um assunto impactante na auto estima feminina.

Queda dos cabelos: preocupação também para mulheres.

 Referência em dermatologia e tratamentos capilares em Bh, a Dra. Amanda Gomes, da Clínica da Pele, mostra o caminho para um tratamento médico especializado no assunto.

 A atenção com os cabelos vai muito além da questão meramente estética: é caso de saúde, tanto física quanto psicológica. Perder os cabelos é algo que causa verdadeiro pânico nas mulheres. As doenças capilares são muito estigmatizantes e influencia diretamente na autoestima, tendo impacto nas relações sociais e profissionais. A solução é buscar ajuda profissional o quanto antes, para um tratamento mais eficaz.

A alopecia androgenética, conhecida como calvície, é um problema que pode levar à perda total ou parcial dos cabelos. A doença é desencadeada por fatores de ordem genética, hormonal e está associada ao excesso de hormônios andrógenos (masculinos).

A médica dermatologista, Dra. Amanda Gomes, conhece de perto os males da calvície feminina. Graduada pela UFMG em 2006, ela foi diagnosticada com a doença em 2011, quando ainda exercia sua residência. Hoje, prestes a iniciar um mestrado na área, tem aprofundado seus estudos em queda de cabelo.

A calvície é determinada geneticamente, mas também pode ocorrer devido a deficiências nutricionais (principalmente de ferro, zinco e vitamina D), alterações hormonais e tratamentos químicos. Os fios perdem a capacidade de se transformar em cabelos adultos, mas com os tratamentos, eles voltam a crescer mais compridos e grossos, explica a médica.

O tratamento contra a calvície pode ser feito de maneira oral, por tópicos, por meio de luz, laser e com medicamentos injetáveis, para o estimulo do crescimento dos fios.  “Todas as modalidades de tratamento podem ser usadas sincronizadas, dependendo do diagnóstico, Cada cabelo é único”, ressalta a médica, destacando a personalização no atendimento da Clínica da Pele. O processo dura cerca de 8 meses, mas a médica alerta a importância da manutenção periódica. “Calvície não tem cura. Uma vez feito o diagnostico é preciso cuidar do cabelo de maneira continua, com retorno à clínica pelo menos a cada 6 meses”.

A automedicação pode colocar em risco a sua saúde e sua beleza. Há inúmeras opções de tratamento e para saber a mais adequada é necessário consultar um dermatologista, que fará uma investigação das características e das prováveis causas do problema.

Fonte: Revista Encontro | Edição Novembro 2015 | Página 23

Revista Versão Digital: https://issuu.com/editora_encontro/docs/revista_encontro_174

Comments (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação