espinha no couro cabeludo espinha no couro cabeludo

Espinha no couro cabeludo? Saiba o que é e como evitar

3 minutos para ler

Assim como aparecem inflamações nos rostos mais oleosos, também existe a espinha no couro cabeludo, que também é rico em glândulas seborreicas. Esse é um problema mais comum do que pode parecer e é indispensável estar atento a sinais estranhos dessa área para mantê-la saudável.

O cabelo é uma parte importante do corpo para nos sentirmos bem e com a autoestima lá em cima. E a saúde do couro cabeludo é imprenscindível para termos cabelos fortes, densos e espessos.

No caso da espinha do couro cabeludo, também conhecida como foliculite simples, podem existir algumas causas, sendo a mais comum o acúmulo de sebo nessa região.

Para evitá-la, existem alguns cuidados que você pode incluir em sua rotina. Quer saber quais são eles? Confira a seguir o conteúdo que preparamos para ajudar você!

Use shampoos adequados

Um dos primeiros cuidados que você deve ter ao descobrir a foliculite ou espinha no couro cabeludo é utilizar produtos adequados para esse problema. Isso envolve usar shampoos para reduzir a oleosidade.

Além disso, é importante tratar a dermatite seborreica caso você sofra dela, uma vez que esse problema aumenta as chances aparecimento da foliculite, a inflamação que acontece onde nascem os fios.

Evite o uso de chapéu por tempo prolongado

O uso prolongado de chapéu contribui para que o couro cabeludo fique suado e acumule maior quantidade de sebo. Sem falar no atrito do tecido com a cabeça, que também irrita essa parte do corpo.

Esse fator também contribiu para o aparecimento de outras inflamações como a foliculite queloidiana e foliculite decalvante — dois tipos bastante semelhantes às espinhas, mas com potencial de causas cicatrizes e alopecias definitivas. Sendo assim, caso opte, por utilizar chapéu ou boné, faça uso desses acessórios com moderação.

Não aplique condicionador na raiz

Você sabia que o condicionador, ao contrário do shampoo, não foi desenvolvido para ser aplicado direto na raiz? Esse produto deve ser, na verdade, passado apenas no comprimento dos fios para deixá-los mais sedosos.

Caso ele entre em contato constante com o couro cabeludo pode acabar se acumulando na pele e entupindo os folículos devido aos componentes e oleosidade que tem. Por isso, é muito importante que o condicionador seja aplicado apenas da metade do cabelo até as pontas.

Não esprema a espinha

Por mais que muitas pessoas fiquem aflitas ao ver uma espinha e tenham vontade de espremê-la, é indispensável resistir a esse desejo, uma vez que fazer isso pode piorar a situação, deixando o couro cabeludo mais sensível, com feridas e com maiores riscos de levar a infecção. O ideal é deixar que a inflamação reduza aos poucos sem cutucá-la.

Se não souber ao certo o que está causando a espinha no couro cabeludo é essencial procurar um profissional da área, como um dermatologista, para que ele possa orientar quais os produtos e tratamento são mais recomendados para o seu caso. Dessa forma você pode cuidar da saúde dos seus fios, bem como evitar maiores problemas.

Este artigo ajudou você a entender melhor sobre essa inflamação? Entre em contato conosco pelo e-mail amanda@amandagomesdermato.com.br para saber mais sobre as soluções para esse problema!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This