fungos-do-couro-cabeludo-o-que-e-e-como-se-livrar-desse-problema.jpeg

Fungos do couro cabeludo: o que é e como se livrar desse problema

Preste atenção a esse sinais: casquinhas no couro cabeludo coçam, cabelos quebrados próximo ao couro cabeludo e descamação. Isso pode ser uma infecção fúngica nos cabelos e couro cabeludo. 

Assim como o restante da pele, o couro cabeludo também está exposto a infecções com fungos, popularmente chamadas de micoses. A tinea capitis é o tipo mais comum delas.

Neste artigo, te explicarei como se manter longe da tinea capitis e como tratar uma possível infecção com esse microrgaismo. Acompanhe:

Os fungos do couro cabeludo são muito comuns?

O Brasil não é um país que mantém um registro oficial da prevalência da tinea capitis em sua população. Porém, um levantamento feito por pesquisadores da Faculdade de Medicina de Botucatu, São Paulo, mostrou uma prevalência significativa da infecção nos pacientes observados dos ambulatórios da Faculdade.

Os mais afetados são as crianças com até 7 anos de idade. Mas os fungos capilares podem aparecer em pessoas de qualquer faixa etária.

Como acontece a infecção por esses fungos?

Os fungos do tipo dermatófitos, como os que causam a tinea capitis, são organismos que se alimentam de células mortas (queratinócitos) do organismo, presentes na pele, unhas e cabelos. Por isso, a infecção se espalha muito facilmente no próprio indivíduo e também de um indivíduo para o outro. 

As formas mais comuns de contágio são o contato direto com o couro cabeludo de uma pessoa infectada — se vocês dormem juntos, por exemplo. Outra possibilidade é o compartilhamento de itens de higiene pessoal, como pentes, escovas e toalhas de banho. 

Como todos os fungos, a tinea capitis tem preferência por ambientes quentes e úmidos. Assim, a cabeça suada é o ambiente perfeito para sua proliferação.

Quais os principais sintomas da infecção?

O sintoma mais frequente dessa micose são áreas de alopécia no couro cabeludo, que coçam e têm aparência descamativa e avermelhada. Além disso, os fungos também podem causar a quebra do cabelo próximo do couro cabeludo, gerando “clareiras” nas áreas afetadas. Isso é chamado de tonsura.

Os pacientes afetados também podem sentir:

  • coceira no couro cabeludo;
  • cabelo quebradiço na base-> tonsura;
  • linfonodos inchados, principalmente na região do pescoço (as chamadas “ínguas”) e febre baixa se houver infecção bacteriana concomitante.

 Se a infecção atingir um estágio mais grave, o paciente pode desenvolver kerions, que são crostas de pus que podem causar pontos de calvície permanente e cicatrizes.

Como é o tratamento?

Os fungos são organismos muito resistentes. Por isso, o tratamento para as micoses costuma ser longo, e é preciso determinação e disciplina. Há três principais formas de tratamento desse tipo de infecção:

Medicamentos antifúngicos

Os principais medicamentos para o tratamento da tinea capitis são os antifúngicos à base de griseofulvina e terbinafina. Ambos são administrados por via oral e só devem ser utilizados com orientação médica. O tratamento com essas medicações pode durar de quatro a oito semana e  acompanhado de exames de sangue.

Uso de xampus medicinais

Outra arma para combater os fungos do couro cabeludo são os xampus medicinais à base de sulfeto de selênio, cetoconazol e pitirionato de zinco, substâncias  fungicidas e fungistáticas.  O paciente deverá deixar o xampu agir por 5 minutos antes de enxaguar.

Normalmente, o uso do xampu é recomendado por um tempo mais prolongado. Pode ser utilizado todos os dias. tem o inconveniente de ressecar os fios, mas é excelente para controlar a população desses microrganismos.  

Controle do contato com outras pessoas

Além do tratamento do próprio paciente, é importante tratar também o ambiente. Isso inclui evitar que outras pessoas sejam infectadas, para que haja um rompimento do ciclo do fungo.

Durante o tratamento, é fundamental manter altíssimos níveis de higiene das áreas afetadas e também dos objetos de uso desse paciente. Toalhas devem ser lavadas com água quente (mas sem “neura”). Pentes e escovas devem ser deixados de molho em uma solução com água sanitária, cloro ou lisoforme (1 tampinha para 1 litro). E os familiares do paciente também devem ser examinados para se certificar de que não foram infectados.

Como você cuida da higiene dos seus cabelos? Conte sua rotina aqui nos comentários deste post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação