minoxidil minoxidil

Saiba o que é minoxidil e os cuidados indicados!

4 minutos para ler

A rarefação capilar (calvície)é uma queixa frequente, que acomete até 50% dos homens acima de 30 anos. Esse público, no entanto, não é o único a sofrer com esse problema: a calvície também pode acometer as mulheres, e reduzir a qualidade de vida. Para contê-la, um medicamento que já consagrado no mercado desde a década de 70 é o minoxidil.

Disponível em loções, soluções e até comprimidos, o minoxidil é um dos medicamentos mais eficientes para o crescimento capilar. Mas, afinal, quais são as suas indicações e contraindicações? O minoxidil é eficaz em todos os tipos de calvície?

Devido à frequência dessas perguntas, explicaremos alguns detalhes sobre o uso do minoxidil. Antes de começar seu tratamento, você saberá tudo sobre ele e poderá tomar os cuidados necessários. Vamos lá?

O que é o minoxidil?

O minoxidil é medicamento antihipertensivo — ele atua expandindo os vasos e melhorando a pressão na circulação sanguínea. Por isso, em seu surgimento, ele era utilizado para tratar a hipertensão arterial refratária.

Com o passar dos anos, no entanto, um efeito colateral indesejado foi descoberto: o crescimento e espessamento de pelos. Por isso, ele foi incorporado pela dermatologia e, atualmente, é mais utilizado para combater a queda de cabelo.

Por ser um vasodilatador, o minoxidil dilata os pequenos vasos da região onde é aplicado. Com isso, o fluxo de sangue é aumentado e a oferta de oxigênio e nutrição para os folículos capilares aumenta. Não sabemos exatamente qual seria o mecanismo de ação. Mas de fato os fios crescem mais rapidamente, ficam mais espessos e pode haver crescimento daqueles fios que estavam em fase latente.

Graças a essas propriedades, o minoxidil é a primeira linha de escolha para estimular o crescimento capilar. Ele é usado por mulheres e homens com problemas de alopecia androgênica e, se indicado e usado da forma correta, pode restaurar o volume capilar perdido. Além do uso no escalpo, o minoxidil também é utilizado na barba e nas sobrancelhas.

Como usar o minoxidil?

Antes de mais nada, é preciso lembrar que minoxidil é um medicamento e seu uso só deve ser indicado por um médico. Após a avaliação e prescrição por um dermatologista especializado em tricologia, pode-se iniciar o tratamento.

A aplicação deve ser feita com os cabelos secos e limpos, para que não haja interferência na absorção do produto. Após aplicar no couro cabeludo a quantidade de gotas indicada pelo dermatologista, deve-se massagear a área por alguns segundos para espalhar o produto. Ele age exclusivamente no couro cabeludo. Por isso não existe necessidade de encharcar os fios.

Para obter o resultado que desejamos, recomendava-se aplicar o produto a cada 12 horas. Hoje os estudos mostram que manter a disciplina aplicando apenas uma vez por dia é suficiente. Os efeitos esperados podem aparecer já nos primeiros meses, mas esse período pode ser variável. Alguns pacientes relatam o aparecimento de fios já nas primeiras semanas. mas para concluirmos se o produto funciona ou não para determinado paciente, o ideal é comparar fotos feitas com intervalo de 6 meses ou até um ano.

O minoxidil é seguro?

No geral, o minoxidil é bem tolerado tanto por homens quanto para mulheres. No entanto, devido ao seu efeito vasodilatador, algumas pessoas necessitam de cuidados especiais: gestantes ou lactantes, por exemplo, não devem usar o produto. O acompanhamento médico é imprescindível para a segurança e eficácia do tratamento.

Alguns efeitos colaterais podem ser observados durante o uso. Caso eles sejam notados, o tratamento deve ser interrompido e o médico deve ser consultado. Dentre eles, estão:

  • crescimento de pelos em outras áreas do corpo ou da face;
  • coceira e descamação do couro cabeludo;
  • ressecamento no cabelo.

Atualmente resgatamos o minoxidil para uso oral. O medicamento disponível no mercado é de 10mg. Nós dermatologistas iniciamos com doses de 0,25mg, sempre manipulado. essa dose é aumentada a cada 15 ou 30 dias de acordo com a tolerância do paciente até alcançar 1mg por dia. NUNCA utilize o medivamento via oral por conta própria. ele pode causar HIPOTENSÃO refratária, queda, lipotímia, etc.

Lembre-se que o tratamento deve ser individualizado e personalizado de acordo com a demanda de cada paciente, a partir de um diagnóstico rigoroso de alopecia androgenética. Por isso, é fundamental a avaliação de um profissional preparado e especializado na área.

Se você está percebendo a queda de cabelo e cogita o uso do minoxidil, não adie a procura por uma solução: entre já em contato com a doutora Amanda Gomes! Dermatologista e especializada em tratamentos capilares, ela estará pronta para te acompanhar nesse tratamento.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This