gravidez

Quais são as causas de queda de cabelo na gravidez?

Durante a gravidez, o corpo da gestante passa por inúmeras mudanças que, apesar de fisiológicas, são estranhas para as mulheres. Além das alterações externas, o corpo modifica suas funções, que são adaptadas para a nova condição orgânica.

Uma das alterações mais frequentes e observadas ocorre nos cabelos. Saiba um pouco mais sobre esse assunto neste post. Boa leitura!

A queda de cabelos acontece na gestação ou no pós-parto?

Durante a gravidez, a mulher costuma ficar mais bonita. A pele, apesar de mais oleosa, fica com mais viço e aspecto saudável, e os cabelos ficam mais brilhantes, fortes e grossos. A queda natural de cabelo tende a diminuir nessa época. Isso acontece porque o cabelo permanece mais tempo na fase de crescimento, denominada anágena.

Após o parto, os hormônios caem drasticamente. Dessa maneira, uma parte dos fios abandona a fase anágena e entra na fase telógena, de queda. Essa queda pode ser acentuada por outros motivos: alterações repentinas no peso, cesariana, estresse, alteração no sono, anemia, perda de sangue, medicamentos, internação prolongada, amamentação — fatores que a mulher costuma vivenciar depois do nascimento de seu filho.

É natural que a mulher apresente queda de cabelo em torno do terceiro mês após o parto. Mas a queda dos fios durante a gravidez não é frequente e não deve causar grande preocupação. Deve ser investigada, mas na grande maioria das vezes é passageira e regride espontaneamente.

O que pode causar a queda de cabelo na gravidez e no pós parto?

Os cabelos podem cair por vários motivos. Para descobrirmos o que está acontecendo o ideal é passar por uma consulta especializada. Na grande maioria das vezes essa queda de cabelo não representa um risco significativo. Mas pode ser um sintoma de problemas maiores que necessitam de tratamento.

Confira abaixo alguns dos motivos que justificam a queda de cabelo na gestação e no pós parto.

Variações hormonais

As variações hormonais são extremas durante a gestação. Na gravidez, devido à produção de progesterona intensificada e de HCG, a grande maioria dos fios entram na fase de crescimento ativo do cabelo, chamada de anágena.

Entretanto, após o parto, a produção hormonal cai abruptamente, e uma boa porcentagem dos fios passa rapidamente para a fase telógena, de queda.

Carência nutricional

Durante a gestação, o organismo da mulher necessita de uma alimentação rica e variada, porque as exigências nutricionais são maiores. E os cabelos também precisam de vitaminas para se fortalecerem e se manterem saudáveis.

Assim, pela maior exigência nutricional nesse período os cabelos ficam vulneráveis. E podem receber menos nutrientes que o usual, ficando mais ressecados e quebradiços. 

Problemas no couro cabeludo

A queda de cabelo na gravidez também pode ter sua origem em um problema dermatológico. A mulher pode apresentar dermatites ou psoríase, problemas infecciosos que afetam a raiz do cabelo e o couro cabeludo, ocasionando a queda dos fios. Qualquer queda ou alteração durante a gestação deve ser prontamente comunicada ao ginecologista e ao médico dermatologista especialista em tricologia.

Mudanças no cabelo

É sempre  importante pentear os cabelos delicadamente, evitando ao máximo a química e preferir cosméticos e produtos mais suaves, que fortaleçam a estrutura dos fios.

Estresse

O estresse aumenta os níveis de cortisol no sangue, e esse hormônio é um dos fatores que comprometem a saúde dos cabelos. Segundo o dermatologista Egon Daxbacher, diretor da Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro (SBD-RJ), o estresse tem seu papel na queda de cabelo que ocorre durante e, principalmente, após a gestação.

Ansiedade

A gestação e o parto podem ser importantes fontes de ansiedade e de estresse. Embora seja um momento de extrema felicidade, algumas mulheres ficam ansiosas e inseguras com a chegada do bebê.

Toda essa apreensão pode interferir indiretamente na saúde capilar, uma vez que a ansiedade pode afetar a alimentação ou agravar problemas dermatológicos já citados.

Excesso de oleosidade

O excesso de oleosidade pode causar um estado inflamatório das glândulas sebáceas chamado de seboríase, também é responsável pela queda dos cabelos.

Juntas, tanto a progesterona quanto a testosterona — hormônio masculino que também é produzido pelas mulheres nos ovários e glândulas suprarrenais — estimulam a secreção nas glândulas sebáceas, aumentando a oleosidade do couro cabeludo.

O que podemos fazer para evitar a queda dos cabelos?

Embora seja normal, a queda de cabelo pode ser desagradável para a mulher que já vê o seu corpo passar por tantas transformações. Sendo assim, alguns cuidados podem ser tomados para minimizar o problema:

Evitar grandes variações no peso

Tanto o ganho quanto a perda de peso em excesso estão associados à queda de cabelo em diversos outros quadros, como doenças de tireoide ou cirurgia bariátrica. Dessa forma, na gravidez também é importante controlar o peso para que variações bruscas não afetem a saúde capilar.

Estar atenta para não desenvolver anemia

A queda dos fios é um dos sintomas da anemia. a suplementação de ferro é presrcita de maneira rotineira durante a gestação. se o parto for cesáreo ou se a perda de sangue for excessiva, essa suplementação deve continuar no pós parto.

Preferir o parto normal

A escolha pelo parto normal, sempre que possível, evita a necessidade de uma cirurgia, o que implica o uso de mais medicação, risco de anemia e maior debilidade do organismo, fatores que podem intensificar a queda de cabelo no período pós-parto.

Seguir uma alimentação rica e não restritiva

Como já mencionamos, a carência nutricional pode ser uma das causas do problema, por isso a importância de uma alimentação rica em nutrientes variados, especialmente proteínas, ferro e zinco.

Usar suplementação de ferro

Caso seja prescrita pelo obstetra, a suplementação de ferro é essencial para garantir o aporte suficiente desse nutriente, evitando a anemia e outros problemas.

Manter o couro cabeludo saudável

Os cosméticos que usamos durante a gestação devem ser escolhidos com carinho. Os shampoos usados durante a gestação devem conter mais surfactantes para que a limpeza do couro cabeludo seja feita corretamente. 

Vale lembrar que o corpo da mulher reage de forma diferente em cada gestação. Assim, a queda de cabelo pode ser um evento isolado ou se repetir a cada gestação.

O importante é ter em mente gestação influencia muito a saúde dos fios.

Se ocorrer queda  é essencial relatar o problema ao médico para descobrir as causas e, se necessário, tratá-las. O tratamento com dermatologistas especializados em problemas capilares traz resultados rápidos e é extremamente eficazes.

Você vem percebendo que seus cabelos têm caído? Gostaríamos de conhecer sua história ou dúvidas sobre a queda de cabelo na gravidez. Deixe um comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação