queda-de-cabelo-e-lupus-entenda-essa-relacao.jpeg

Queda de cabelo e lúpus: entenda essa relação

O lúpus é uma doença autoimune que causa muitas dúvidas. Tanto os seus sintomas quanto as formas de ação ainda não são conhecidas por grande parte das pessoas. Essa doença pode afetar, principalmente, as articulações, cérebro, rins e pele, mas também pode atingir os demais órgãos.

A relação entre a queda de cabelo e lúpus surge por causa das lesões cutâneas que costumam aparecer no couro cabeludo ou pelo uso de medicação durante o tratamento. A seguir, entenda mais sobre o assunto!

Saiba o que é lúpus

O lúpus é uma doença que faz com que o sistema imunológico do paciente ataque e destrua tecidos saudáveis do organismo. Existem, aproximadamente, mais de 100 tipos de doenças autoimunes crônicas e o lúpus eritematoso sistêmico (LES) é um dos mais comuns.

Por isso, é muito importante ficar atento aos sintomas que a doença apresenta, pois quando é tratada corretamente, suas sequelas são amenizadas e os efeitos colaterais diminuem.

O lúpus, assim como a grande parte das doenças autoimunes, afeta mais as mulheres do que os homens. O motivo disso é por conta da presença do hormônio feminino chamado estrógeno.

Na idade fértil, a presença desse hormônio autoformador de anticorpos é alta, o que pode contribuir para o aparecimento da doença em quem já tem predisposição para algumas doenças virais ou bacterianas.

Conheça os principais sintomas da doença

Os sintomas do lúpus podem surgir de forma rápida ou lentamente. Também podem ser moderados ou graves, permanentes ou temporários. Eles podem variar de acordo com as partes do corpo que forem acometidas pela doença. Veja os sinais mais comuns:

  • febre;

  • fadiga;

  • dor nas articulações;

  • dificuldade para respirar;

  • vermelhidão na face;

  • sensibilidade à luz do sol;

  • queda de cabelo, entre outros.

Entenda a relação entre a queda de cabelo e lúpus

A relação entre a queda de cabelo e lúpus gera algumas dúvidas. Por ser uma doença sistêmica, ou seja, doença que afeta o organismo e causa diversos prejuízos, a perda excessiva de cabelo indica o estado ativo do lúpus.

Essa queda de cabelo pode se apresentar de diversas formas, deixando os fios, na maioria dos casos, finos e quebradiços.

De forma geral, os medicamentos utilizados no tratamento também podem desencadear a acentuada queda dos cabelos, provocando até mesmo a calvície, principalmente no início do tratamento. Contudo, quando a doença é controlada, os fios voltam a crescer naturalmente.

Outro caso que explica a relação entre a queda de cabelo e lúpus é por conta das erupções que se formam no couro cabelo. Dessa forma, os folículos são danificados de maneira irreversível, provocando a queda definitiva dos fios.

Saiba como é feito o diagnóstico e tratamento do lúpus

Não existe um exame específico que detecte com precisão a doença. Por isso, o diagnóstico é realizado por meio de uma série de exames de urina e sangue que revelam a presença de fatores antinúcleo no organismo.

O ideal é procurar por um médico reumatologista para que ele faça o diagnóstico do lúpus, pois quanto mais cedo o início do tratamento, melhores são as condições para controlar a doença.

O tratamento, por sua vez, é feito inicialmente à base de cortisona para diminuir a ação da doença no organismo. Em seguida, são usados medicamentos imunossupressores.

Veja como prevenir

O lúpus não tem cura, mas existem alguns hábitos diários que podem ser adotados para prevenir e controlar a doença:

  • evitar a exposição ao sol;

  • praticar exercícios físicos;

  • parar de fumar;

  • ter uma alimentação rica em vitaminas e proteínas;

  • consultar o médico regularmente.

Adotar um tratamento adequado é essencial para controlar a doença, o que garante ao paciente uma vida normal. Por isso, procure sempre por um médico especialista para que ele tenha um diagnóstico correto e indique o tratamento adequado.

Agora que você já sabe a relação entre a queda de cabelo e lúpus, deixe seu comentário no post e conte-nos se você tem ou conhece alguém com essa doença diagnosticada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação