sera-que-o-suor-no-couro-cabeludo-pode-causar-a-queda-do-cabelo.jpeg

Será que o suor no couro cabeludo pode causar a queda do cabelo?

O suor, produzido pelas glândulas sudoríparas, é capaz de eliminar algumas toxinas do organismo e equilibrar a temperatura corpórea, isso o faz fundamental para ter uma boa saúde e estabilidade. Contudo, algumas pessoas são acometidas pela superatividade das glândulas, o que gera o suor excessivo, causando uma sensação de desconforto e caspa, podendo resultar na queda dos fios.

De acordo com um estudo do Centro Hospitalar de Lisboa Central, em Portugal, 1% da população mundial tem hiperidrose, isto é, suor excessivo. Esse fator pode trazer diversos incômodos na vida de uma pessoa, porém tem tratamento.

Neste post, separei as perguntas mais comuns quando se fala em suor no couro cabeludo e sua relação com a queda de cabelo. Confira!

O que é suor patológico?

A transpiração é uma reação normal e saudável do organismo e não deve ser eliminada. Apesar disso, quando ela se acentua, a sensação de desconforto surge, afetando a estabilidade emocional do sujeito. Nesse sentido, as intervenções para controlar o suor patológico (hiperidrose) são indicadas quando a transpiração está fora dos níveis fisiológicos normais.

A hiperidrose é mais comum nas axilas, mãos e pés, mas pode atingir áreas como a virilha, mamas e o couro cabeludo. Justamente pelo contato direto com a pele do couro cabeludo, o suor patológico e excessivo pode contribuir com o aumento da sujeira e oleosidade no cabelo, potencializando o processo de queda e trazendo uma aparência mais suja. Isso, além de causar problemas capilares, pode afetar a saúde emocional e as relações sociais, uma vez que sensibiliza e constrange quem é acometido pelo problema.

Qual a sua relação com a queda de cabelo?

Além de o suor excessivo auxiliar na produção de oleosidade e acumulo de sujeiras no cabelo, ele contém muito sal, que age negativamente no couro cabeludo. Quando alguém faz uma atividade física, ou transpira bastante, e não lava com frequência os fios, pode ter uma dermatite seborreica (caspa) e, então, a queda de cabelo. Por isso, é fundamental a lavagem do cabelo logo após uma atividade física, para que a camada de sal não permaneça no couro cabeludo.

A prática de atividades físicas é algo altamente recomendado para saúde do corpo e bem-estar físico e emocional, contudo não se pode deixar de lado os cuidados com o cabelo. Para impedir a queda e a caspa, uma boa atitude é passar uma pequena quantidade de óleo vegetal para a proteção dos fios e sempre lavar o cabelo após o exercício.

Qual o tratamento?

O tratamento mais recomendado para hiperidrose é chamado de botox capilar, é um procedimento simples e rápido, feito somente por dermatologistas. A técnica se dá por meio da aplicação da toxina botulínica, uma substância que age no couro cabeludo, bloqueando a passagem de neurotransmissores na fenda sináptica, o que causa a diminuição da movimentação dos músculos, da secreção sebácea e seborreica.

Uma pesquisa divulgada na revista da Universidade Federal de São Paulo apontou que, em um estudo realizado em 2001, houve uma redução de 86% da hiperidrose com a aplicação da toxina botulínica, mostrando que o tratamento é eficaz e seguro, com efeitos colaterais quase nulos.

Isso vai ao encontro do que o estudo do Centro Hospitalar de Lisboa Central apresentou: já no terceiro dia de tratamento, houve uma redução de 50% dos sintomas e, na segunda semana, 94%.

Ainda, a eficácia da aplicação permaneceu por sete meses, tornando o resultado satisfatório, gerando um grande impacto na qualidade de vida de quem tem suor no couro cabeludo, já que a confiança e a segurança passaram a fazer parte da vida desses sujeitos.

É preciso estar atento para a escolha do profissional certo para fazer o procedimento, tendo em mente que somente os dermatologistas estão habilitados para isso.

O suor no couro cabeludo pode causar, ou até mesmo potencializar, a queda de cabelo, afetando as questões psicossociais de quem o tem. Por isso, o botox capilar feito por um dermatologista é fundamental para o tratamento da hiperidrose, garantindo uma melhoria na qualidade de vida e saúde do paciente.

Gostou do conteúdo? Se você ficou com alguma dúvida, não hesite em me perguntar! Deixe um comentário abaixo com a sua pergunta, ficarei feliz em ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação