síndrome metabólica síndrome metabólica

Como a Síndrome Metabólica pode influenciar na saúde dos cabelos?

4 minutos para ler

A síndrome metabólica se associa a múltiplos fatores de risco para as doenças cardiovasculares. O organismo apresenta dificuldade em reagir à ação de secreção de insulina, o que gera problemas sistêmicos no corpo. Os sintomas são silenciosos, porém, uma questão que pode surgir junto à doença é a queda de cabelo.

Se não tratado, essa patologia pode gerar graves consequências, como distúrbios mais graves no sistema circulatório. Preparamos este conteúdo especial com informações sobre a síndrome metabólica. Ficou interessado? Continue a leitura para aprender mais sobre o assunto!

O que é a síndrome metabólica?

A síndrome metabólica se caracteriza, principalmente, pela resistência à ação da insulina — o que leva o pâncreas a ter que produzir maiores quantidades desse hormônio. Entre os fatores de risco, estão:

  • intolerância à glicose,
  • níveis elevados de colesterol ruim (LDL) junto a baixos índices de colesterol bom (HDL),
  • hipertensão,
  • taxas altas de triglicérides,
  • obesidade,
  • elevados índices de ácido úrico,
  • excreção de proteína na urina (microalbuminúria),
  • processos inflamatórios,
  • elementos pró-trombóticos
  • fatores genéticos que provocam resistência à insulina.

As principais causas da síndrome são o sedentarismo, a obesidade e a alimentação inadequada. Vale ressaltar que a doença é mais comum em homens, mas ela também pode atingir mulheres. Os ovários policísticos são um fator que favorecem o aparecimento do quadro no sexo feminino, por exemplo, mesmo que a pessoa seja magra.

Todos os fatores que se associam à síndrome não provocam sintomas visíveis. Por isso, o diagnóstico é realizado pelo médico.

Como a síndrome metabólica pode afetar os cabelos?

A síndrome metabólica pode estar associada à queda de cabelos. Os fatores que prejudicam a circulação no corpo, como obesidade, hipertensão e diabetes, e que estão associados à síndrome contribuem para o lesionamento dos vasos sanguíneos e dificuldades na irrigação do couro cabeludo. Logo, a falta de nutrientes nessa região faz com que os cabelos fiquem mais sujeitos à queda e que haja menos reposição de fios. Além disso, a síndrome metabólica representa um desequilíbrio orgânico grave no organismo. e quando a saúde não vai bem os cabelos não são poupados e acabam caindo.

Quais são as principais recomendações acerca da síndrome metabólica?

O tratamento da síndrome metabólica passa por uma mudança de estilo de vida. Reeducação alimentar e inserção de uma rotina de exercícios físicos são medidas essenciais para que o paciente tenha qualidade de vida e para que o quadro seja controlado. A intervenção medicamentosa também pode ser necessária.

Outra medida essencial é realizar consultas regularmente e fazer exames com frequência. Um estilo de vida saudável e o acompanhamento médico são os melhores fatores para a prevenção e o controle da doença.

Se houver queda de cabelo associada, um dermatologista capilar (ou tricologista médico) deverá ser consultado. Esse profissional tem o preparo e os conhecimentos necessários para fornecer um diagnóstico correto e um bom tratamento a fim de melhorar a perda capilar.

A síndrome metabólica se caracteriza por ser multifatorial, silenciosa e por estar associada à obesidade e ao sedentarismo. Ela gera desequilíbrios no organismo, como a dificuldade de reação à insulina e a sobrecarga do pâncreas para produzir maiores quantidades da substância.

Nesse sentido, a melhor forma de tratamento e prevenção é com a realização de acompanhamento médico regular, a manutenção de uma dieta balanceada e a prática regular de exercícios físicos. A queda dos fios pode estar associada ao quadro e é fundamental procurar um dermatologista capilar para o tratamento do problema.

Gostou de aprender sobre a síndrome metabólica? Aproveite e entre em contato com a doutora Amanda Gomes!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This