Você já ouviu falar sobre o ph ácido do couro cabeludo?

4 minutos para ler

Os ácidos sempre foram associados a processos corrosivos. Mas não é exatamente assim que as coisas funcionam. Você sabia que o ph do couro cabeludo é ácido?

Conheça o pH dos cabelos 

Sempre vejo mulheres reclamando que os cabelos estão quebradiços e porosos, mesmo usando bons produtos durante as lavagens. O elas não sabem é que não importa qual seja a marca do condicionador, se o pH dos fios estiver desequilibrado, o tratamento não penetra como deveria na fibra capilar. 

Por falar nisso, a fibra capilar é repleta de cutículas que se abrem para receber as composições dos produtos e se fecham em seguida com o objetivo de potencializar os efeitos nos cabelos. Esse procedimento de abre e fecha só acontece por conta do pH das madeixas que precisa ficar equilibrado.

O pH dos fios e do couro cabeludo normalmente é ácido e gira em torno de 4.5 a 5.5. Ou seja, os mais ácidos fecham as cutículas e os alcalinos abrem. Muitos fatores são responsáveis por alterar a cutícula dos cabelos, entre os principais estão a coloração ou as químicas muito pesadas. Em estado aberto, as cutículas deixam as madeixas com aspecto poroso, sem vida e extremamente ressecadas. 

Tenha atenção com o pH do alisamento capilar

As escovas progressivas representam muitos danos aos fios quando não são realizadas com os componentes adequados. Os processos de alisamentos mais antigos têm o pH muito alto e prejudicam a fibra capilar, tornando o aspecto emborrachado.

Segundo uma pesquisa realizada pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP, quanto maior acidez, maior será a alteração dos fios chegando até o córtex (estrutura mais interna da fibra capilar).

Hoje em dia, com a proibição do formol, esses tratamentos estão mais amenos, porém, se os componentes ácidos forem adicionados em excesso, os fios podem só parecer alinhados em um primeiro momento, mas sofrerem as consequências do desgaste futuro.

Equilibre o pH capilar após tratamentos químicos

Mesmo para quem é adepta de progressiva sem formol, qualquer tipo de processo químico desequilibra a fibra dos fios. Por esse motivo, ao fazer um procedimento, a camada protetora de cutícula se abre e fecha, e cada tipo de cabelo recebe essa reação de uma maneira diferenciada. 

Muitas vezes, a química após aplicada leva consigo toda a água e a hidratação natural das madeixas. O resultado é um cabelo ressecado e repleto de pontas duplas. Dessa maneira, recomendo apostar em produtos acidificantes logo depois da química, para impedir que os efeitos negativos aconteçam a longo prazo.

Escolha o momento da acidificação capilar

Além de fazer a acidificação depois do processo químico no salão de beleza, você deve continuar o processo em um cronograma caseiro. Como vários fatores promovem o desequilíbrio das cutículas, o mais indicado está em ter um produto com essas características, para aplicar em torno de uma vez por semana durante as lavagens. 

O acidificante ganha, nesse caso, a função de realizar uma espécie de manutenção de hidratação nos fios. Primeiro é feita a lavagem com o shampoo, depois a aplicação do acidificante e em seguida a máscara ou o condicionador.

Como vimos, a acidificação capilar é essencial nos cuidados com a beleza. O mais importante está em escolher um profissional como experiência na área para acompanhar o procedimento. Assim, fica muito mais simples identificar tudo o que seu cabelo precisa e manter os resultados em casa. 

Aproveitou as dicas do texto? Então curta nossa página no Facebook e fique por dentro de outras novidades.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This